Caderno n.74 – Por uma infância emancipada?

Jordi Carmona Hurtado

Baixar

Categoria

Descrição

Neste texto, Jordi Carmona pensa as relações entre infância e emancipação. A sua escrita afasta a matriz filosófica iluminista na qual haveria um vínculo entre emancipação e maioridade, e a partir da experiência de Jacotot (pensada por Jacques Rancière em O Mestre Ignorante) e de outras referências, imagina as ligações entre poesia, infância e emancipação, e os modos pelos quais isto afeta a vida em comum.

“[…] o mestre ignorante é, na verdade, quem ensina o que não sabe, quem separa emancipação e saber. É quem remete dedutivamente todo o processo de ensino a um único axioma: a igualdade das inteligências. Trata-se, contra a lógica progressiva iluminista, de mostrar que a emancipação é, a todo momento e em todo lugar, efetuável: pois nunca chegaremos à ilha da igualdade se não partirmos dela desde o começo. Emancipar-se, pensar por si mesmo, não consiste em adquirir um conteúdo de saber acumulável […]. Emancipar-se consiste, ao contrário, em sentir e verificar que “eu” posso fazer, no domínio da inteligência, tudo que pode fazer um homem, um ser falante, um ser capaz de raciocínio.”

Tradução
Marcos Visnadi

Revisão
Bernardo RB

Projeto gráfico
Luísa Rabello

Informação adicional

Ano

2018