Caderno n.71 – Comunicação entre espécies na Amazónia ocidental

Christina Callicott

Baixar

Descrição

Neste texto, Christina Callicott investiga o canto xamânico como um modo de comunicação entre espécies. A experiência indígena testemunha que entre plantas e homens há cura, aprendizagem, escuta; isto é também um modo de entrever o que nos faz muito mal esquecer: tudo o que é vivo se relaciona.

“Do mesmo modo, a literatura moderna sobre estudos psicadélicos está cheia de relatos de uma crescente consciência da natureza e alguns autores consideram a fenomenologia da experiência psicadélica altamente adequada para o encorajamento de uma ética da comunicação e uma empatia para com a natureza não-humana. Por outro lado, aquilo que Reichel-Dolmatoff sabia, e que é importante lembrar, é que a mensagem fitoquímica da planta, em si mesma, não modifica o comportamento humano. É a interpretação hábil dessa mensagem, a sua reprodução e aplicação, o que resolve um problema, cura uma doença ou gera uma mudança no mundo material. Esta é, na verdade, a lição dos Ícaros e compete-nos a nós, na nossa viagem em direcção ao futuro, ouvir cuidadosamente a sua canção.”

 

 

Tradução
Catarina Barros

Projeto gráfico
Rafael Camisassa

Este Caderno de Leituras foi realizado com recursos
da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.
Fundação Municipal de Cultura. Patrocínio UNA.

Informação adicional

Ano

2017